Vacaria, 5/06/2020

03/06/2020 “Manchetes do Boletim Diário de TRIGO, SOJA e MILHO de 02.06.2020”

Manchetes do Boletim Diário de TRIGO de 02.06.2020

* NOTÍCIA RELEVANTE: Buemba, buemba! Foram suspensas as vendas de fertilizantes e insumos na Argentina; plantios ameaçados

* Entendendo os tipos de câmbio

* El dólar blue pierde en un día más de la mitad de todo lo que había subido en mayo

* TRIGO RS: Queda do dólar volta a derrubar preço de exportação para R$ 920,00, o menor nível até agora

* TRIGO SC: Negociado lote de trigo gaúcho a R$ 1.200,00 FOB para SC e trigo catarinense a R$ 1.220,00 FOB

* TRIGO PR: Preços inalterados, mas pouca movimentação apesar da chuva

* TRIGOS IMPORTADOS: Preços finais do trigo argentino nos moinhos do Sul caíram para os meses futuros

* De São Paulo para cima o preço do trigo argentino terminou o dia em baixa

* FUNDAMENTOS: PR já plantou 75% da área prevista e as condições são de 77% boas, 19% médias e 4% ruins

* CÂMBIO: Exterior e preço atrativo ajudam real a ter melhor dia em 2 anos,com queda de 3,24% para R$ 5,2046

* ARGENTINA: Preços FOB de exportação e sobre rodas nos portos do UpRiver fechou em baixa nesta terça-feira

* CHICAGO: Clima favorável pressionou as cotações

Manchetes do Boletim Diário de SOJA de 02.06.2020

* ANÁLISE DOS PREÇOS: Os americanos estão recebendo o equivalente entre R$ 94,00 a R$ 99,00/saca de soja no interior

* No RS, poucos negócios no interior antes da queda, depois, mercado travou

* No Paraná, os preços os preços caíram entre 2 e 7 reais/saca com a forte queda do dólar

* Relatório da China: Esmagadoras estatais continuam comprando dos EUA, descartando rumores

* SUBPRODUTOS- Mercado internacional: óleo de soja avançou na China, índia e Europa

* CHICAGO: Compras da China impulsionaram as cotações

* CÂMBIO: Exterior e preço atrativo ajudam real a ter melhor dia em 2 anos, com queda de 3,24% para R$ 5,2046

Manchetes do Boletim de MILHO de 02.06.2020

* No RS preços recuaram um real/saca nesta terça-feira

* Em Santa Catarina os preços recuaram entre um e 2,5 reais/saca nesta terça-feira

* No Paraná, preços voltam a subir um real/saca no disponível, futuro sobe 2 reais/saca

* MILHO IMPORTADO – Preços do milho paraguaio caíram nesta terça-feira

* O preço do milho chegaria a R$ 61,35 e o americano a R$ 68,91

* TENDÊNCIAS DAS CARNES: Boi e suíno em queda e o frango em alta

* Vietnã habilita 4 plantas de aves e 1 de suínos para exportação de carne do Brasil

* Colheita de milho 2ª safra segue atrasada no Paraná; plantio de trigo avança

* FUNDAMENTOS: Aumenta o consumo de milho pra álcool nos EUA

* FUNDAMENTOS: PR já colheu 2% do milho Safrinha e a condição das lavouras é 42% boas, 40% médias e 18% ruins

* B3: Segundo dia de queda nos futuros de milho na B3

* CHICAGO: Petróleo, plantio e dólar marcaram esta terça-feira

Consultoria Trigo & Farinhas       
Fone 00 55 41.3209-8542 – Móvel 00 55 41.99251-3697 Vivo
Email/Skype: luiz.pach@hotmail.com
Solicite programas de nossas palestras e cursos de comercialização de grãos
Visite nossa página www.trigoefarinhas.com.br
Curta nossa página no Facebook – Trigo&Farinhas
 

03/06/2020 “Soja dá continuidade às altas na Bolsa de Chicago nesta 4ª com foco no clima e na demanda”

O mercado da soja opera em campo positivo nesta manhã de quarta-feira (3) na Bolsa de Chicago. Os futuros da oleaginosa, por volta de 7h50 (horário de Brasília), as cotações subiam entre 3,25 e 3,50 pontos nas posições mais negociadas, com o julho valendo US$ 8,53 e o agosto, US$ 8,56 por bushel. 

Os traders permanecem focados na reativação da economia mundial após passado o pico da pandemia do novo coronavírus em alguns países; no comportamento do dólar – que ontem cedeu mais de 3% -; nas perspectivas sobre a demanda chinesa e no clima norte-americano para a safra 2020/21.

No quadro climático, de acordo com a consultoria internacional Allendale, Inc., as previsões indicando um aumento das temperaturas em partes do Corn Belt nas próximas semanas e de chuvas um pouco mais pesadas chamam a atenção do mercado e exigem monitoramento. 

O comportamento chinês no mercado norte-americano também segue acompanhado de perto, principalmente depois das últimas notícias sobre as relações entre os dois países e da necessidade crescente da nação asiática da oleaginosa. 

Fonte: Notícias Agrícolas

 

02/06/2020 “Milho: colheita e dólar seguem pressionando cotações na B3”

A Bolsa Brasileira (B3) opera com resultados em campo misto para os preços futuros do milho nesta terça-feira. As principais cotações registravam flutuações entre 0,89% negativo e 0,06% positivo por volta das 11h45 (horário de Brasília).

O vencimento julho/20 era cotado à R$ 44,45 com desvalorização de 0,89%, o setembro/20 valia R$ 43,47 com perda de 0,75%, o novembro/20 era negociado por R$ 46,15 com baixa de 0,54% e o janeiro/21 tinha valor de R$ 47,30 com alta de 0,06%.

As cotações brasileiras seguem refletindo o início dos trabalhos de colheita da segunda safra nacional e as movimentações cambiais, que por volta das 11h51 (horário de Brasília) registrava queda de 2,24% para o dólar ante ao real, sendo cotado à R$ 5,24.

Já os preços internacionais do milho futuro registravam leves ganhos na Bolsa de Chicago (CBOT) nesta terça-feira. As principais cotações registravam movimentações positivas entre 1,00 e 1,50 pontos por volta das 11h38 (horário de Brasília).

O vencimento julho/20 era cotado à US$ 3,24 com alta de 1,00 ponto, o setembro/20 valia US$ 3,28 com elevação de 1,00 ponto, o dezembro/20 era negociado por US$ 3,37 com valorização de 1,25 pontos e o março/21 tinha valor de US$ 3,49 com ganho de 1,75 pontos.

Segundo informações do site internacional Farm Futures, os preços do milho futuro subiram ligeiramente esta manhã após o aumento dos preços da energia.

Além disso, o USDA divulgou ontem os dados mensais de esmagamento de grãos e produção de coprodutos, fornecendo uma visão mais abrangente do uso de milho durante o auge da pandemia do COVID-19 em abril. O consumo total de milho caiu 36% em relação a março de 2020 para 299,0 milhões de bushels em abril, com as reduções na produção de combustível que eliminaram 165,3 milhões de bushels de demanda da produção de etanol.

“Mas houve alguns vislumbres de esperança no relatório de ontem. A produção industrial de álcool aumentou 4,0 milhões de bushels, para 11,8 milhões de bushels no consumo de milho em abril de 2020, após um aumento na demanda por desinfetante para as mãos. O consumo de milho por álcool também aumentou 2,3% durante o confinamento, pois os consumidores recorreram a formas alternativas de entretenimento para passar o tempo em quarentena. O total de abril de 2020 do consumo de milho para álcool foi o segundo maior já registrado, atingindo 4,1 milhões de bushels”, aponta a publicação.

Fonte: Notícias Agrícolas

 

02/06/2020 “Trigo: semeio no Sul do país é favorecido pelas chuvas em importantes regiões produtoras”

O cultivo da nova safra de trigo segue avançando no Sul do País, devido ao clima favorável. Segundo agentes colaboradores do Cepea, choveu em importantes regiões produtoras do Brasil, melhorando a umidade do solo, o que deve fazer com que este início de junho seja marcado pela intensificação dos trabalhos no campo. Diante disso, estimativas já passam a indicar produção elevada. Mas, enquanto isso, a escassez de trigo no mercado nacional e a demanda aquecida mantêm firmes as importações do cereal. Assim, o mercado doméstico segue operando com volume restrito e valores firmes.

Fonte: Notícias Agrícolas