Vacaria, 27/09/2020

25/09/2020 “Manchetes do Boletim Diário de TRIGO, SOJA e MILHO de 24.09.2020”

Manchetes do Boletim Diário de TRIGO de 24.09.2020

* Brasil comprou novamente trigo dos EUA, elevando o total do ano para mais de 600 mil tons

* RIO GRANDE DO SUL: Estado já comprou 10.500 tons de trigo paulista de safra nova, tenta trigo paranaense e vende gaúcho

* SANTA CATARINA: Moinhos compraram também trigo paulista e estão esperando trigo paranaense comprado

* PARANÁ: Vendedor quer R$ 1.200,00 FOB e comprador quer pagar isto CIF, para trigo safra nova disponível

* TRIGOS IMPORTADOS: Preços finais do trigo argentino nos moinhos do Sul caíram para os meses futuros

* De São Paulo para cima o trigo gaúcho começa a ficar competitivo

* FUNDAMENTOS-1: PR já negociou 29% da safra, mas Deral reduz produtividade e produção apesar de aumentar a área

* FUNDAMENTOS-2: No RS o trigo melhorou a condição boa (55%),  reduziu a média (20%) mas manteve a ruim:  25%

* FUNDAMENTOS: Na argentina condição de regular a ruim aumentou 10 p.p. e potencial produtivo cai para 17,5 MT

* ANÁLISE DO CÂMBIO: Dólar fecha em queda de 1,34% a R$ 5,5128; exterior traz alívio

* ARGENTINA: Preços FOB de exportação e sobre rodas nos portos do UpRiver fecharam estáveis nesta quinta-feira

* CHICAGO: Trigo fechou em leve alta apesar da forte queda de seus pares

Manchetes do Boletim Diário de SOJA de 24.09.2020

* Spread de óleo de soja Brasil-Argentina bate recorde à medida que a oferta reduz

* No RS indústrias espicham preço ao máximo

* No Paraná, os preços recuaram em média 2 reais/saca nesta quinta-feira

* RELATÓRIO DA CHINA: Demanda pré-feriado impulsiona esmagamento de soja da China a recorde de alta

* SUBPRODUTOS- Mercado internacional: óleo de soja fechou em baixa na China, Índia e Europa

* Paraná reduz projeções para safras de cereais 2019/20; mantém soja 2020/21

* CHICAGO: Com China ausente soja tem novo dia em queda

* ANÁLISE DO CÂMBIO: Dólar fecha em queda de 1,34% a R$ 5,5128; exterior traz alívio

Manchetes do Boletim de MILHO de 24.09.2020

* No RS preço de exportação continua subindo; mercado firme

* Em Santa Catarina preços continuam a R$ 65,00/saca

* No Paraná, houve recuos e avanços nos preços, dependendo do prazo de entrega

* MILHO IMPORTADO – Preços do milho paraguaio fecharam em baixa nesta quinta-feira

* O preço do milho chegaria a R$ 79,77 e o americano a R$ 85,48

* TENDÊNCIAS DAS CARNES: Boi e suíno fecharam em baixa

* MERCADO INTERNACIONAL: Preços sul-americanos do milho atingem altas de vários anos, com apoio doméstico

* MERCADO INTERNACIONAL: Preços sul-americanos do milho atingem altas de vários anos, com apoio doméstico

* Milho recua nesta quinta-feira por tomada de lucros

* CHICAGO: Avanço da colheita nos EUA pressionam preços

 

25/09/2020 “Segue o preparo de áreas e plantio dos cultivos de verão no RS”

Os plantios dos cultivos de verão (soja, milho, arroz e feijão) avançaram nas regiões em que as precipitações não acarretaram em excesso de umidade do solo. De acordo com o Informativo Conjuntural, elaborado pela Gerência de Planejamento e divulgado nesta quinta-feira (24/09) pela Emater/RS-Ascar, na região de Soledade há áreas de milho sendo semeadas, em emergência e em desenvolvimento vegetativo. Lavouras estabelecidas mais no cedo apresentam ótimo crescimento e desenvolvimento. E estão sendo realizados os tratos culturais de adubação nitrogenada em cobertura e o controle de plantas daninhas com produtos pós-emergentes. 

Na região de Ijuí, segue lento o preparo das áreas de soja nas quais há cultura de cobertura de inverno. No momento, a atenção está voltada para o controle de ervas daninhas antes do plantio, conforme o manejo planejado das culturas antecessoras. 

Nas regionais da Emater/RS-Ascar de Bagé, Pelotas, Soledade e Porto Alegre, produtores de arroz intensificam os preparos do solo e dão continuidade aos plantios. Na de Bagé, a água disponível nos reservatórios é fator limitante para o desenvolvimento da safra 2020-2021. As chuvas das três últimas semanas trouxeram pequena melhora nos volumes acumulados, mas ainda são insuficientes para atingir os volumes ideais.

Nas regiões de Frederico Westphalen, Ijuí, Pelotas e Porto Alegre, segue o plantio do feijão. Na de Frederico Westphalen, parte da cultura semeada está em germinação, com as demais áreas em desenvolvimento vegetativo. Os produtores realizam adubações em cobertura. 

Fonte: Notícias Agrícolas

 

25/09/2020 “Farelo de soja: poder de compra do frango vivo retrocede ao menor nível em 5 anos”

Ainda que nos últimos dois meses tenha obtido boa recuperação de preço, o frango vivo permanece – em relação ao farelo de soja – com o menor poder de compra do terceiro trimestre do ano. Mas a situação já esteve bem pior: no bimestre abril/maio o poder de compra do frango caiu a um volume que não era observado desde o mesmo bimestre de 2018.

Independente disso, a realidade é que, transcorridos praticamente três quartos do ano, o poder de compra do frango vivo em 2020, no tocante especificamente ao farelo de soja se encontra no mais baixo nível dos últimos cinco anos.

Nesse quinquênio, o melhor resultado para o produtor do frango foi registrado no ano passado, ocasião em que uma tonelada de frango vivo permitiu adquirir, na média anual, perto de 2,7 toneladas de farelo de soja.

Em 2020 a capacidade de compra é cerca de 25% menor, pois, na média dos nove primeiros meses do ano, a tonelada de frango vivo possibilitou adquirir pouco mais de 2 toneladas de farelo de soja.

Aos valores atuais (cerca de R$2.100/tonelada, quase 75% a mais que a média registrada em setembro de 2019), o avicultor precisa dispor de um volume de frangos 40% maior para adquirir a mesma quantidade de farelo de soja de um ano atrás.

Fonte: Notícias Agrícolas

 

25/09/2020 “Após semana volátil, mercado da soja em Chicago opera com estabilidade nesta 6ª feira”

O mercado da soja opera com estabilidade na Bolsa de Chicago nesta sexta-feira (25). Os futuros da oleginosa, por volta de 8h20 (horário de Brasília), as cotações operavam em campo mistos, com oscilações de menos de 1 ponto nos principais contratos. Assim, o novembro/20 tinha US$ 9,99 e o janeiro/21, US$ 10,02 por bushel. 

Uma semana bastante volátil vai terminando na CBOT, com o mercado ajustando suas posições e de olho na direção que seus fundamentos tomarão a partir de agora. Entre eles, atenção à colheita nos EUA, plantio no Brasil e demanda. No paralelo, monitoramento do posicionamento dos fundos investidores, do dólar e do mercado financeiro global, principalmente com o aumento do número de casos de Covid-19 na Europa. 

“E a pressão sazonal tende a ser grande se a colheita nos EUA andar em ritmo normal e o plantio no Braisl ficar sem reporte de grandes problemas”, diz Steve Cachia, consultor de mercado da Cerealpar e da TradeHelp. 

Fonte: Notícias Agrícolas